IFPA só tem recursos para funcionar até setembro de 2019, diz nota

0
383

Instituto afirma que corte no orçamento previsto pelo Ministério da Educação inviabiliza a instituição

O Instituto Federal do Pará (IFPA) corre o risco de ter suas atividades paralisadas ainda este ano. O instituto divulgou uma nota no final da tarde da última sexta-feira (4) na qual afirma que, caso se confirme o bloqueio de 30% no orçamento das instituições federais de ensino, anunciado recentemente pelo ministro da educação, Abraham Weintraub, a instituição só teria condições de funcionamento até setembro de 2019.

  • Segundo a nota, a situação financeira do instituto, que já era difícil, ficará “insustentável”, afetando serviços básicos como limpeza, luz, transporte e apoio a alunos e servidores para eventos e congressos. “A decisão atinge não somente a oferta de cursos e a rotina das aulas, mas também a aquisição de materiais, a retomada de obras estruturais e o funcionamento da instituição.”

A nota informa que durante esta semana, no dia 7 de maio será realizada reunião de entre representantes do IFPA com a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC), e o dia 8 de maio será “dedicado ao diálogo com parlamentares da Frente Parlamentar em defesa dos Institutos Federais”. No dia 10 de maio, ainda de acordo com a nota divulgada, está prevista uma reunião com o Ministro da Educação.

O IFPA conta com 18 campi, atende cerca de 16 mil estudantes por ano, por meio da oferta de 40 cursos Técnicos, 29 Graduações, 22 Especializações, 4 Mestrados e 208 formações complementares.

Confira a nota na íntegra:

NOTA À COMUNIDADE

“O Instituto Federal do Pará (IFPA) informa que o bloqueio de 30% no orçamento das instituições federais de ensino, anunciado pelo atual Ministro da Educação, Abraham Weintraub, afeta diretamente as atividades de ensino, pesquisa e extensão, causando um grande impacto no funcionamento do Instituto. A decisão atinge não somente a oferta de cursos e a rotina das aulas, mas também a aquisição de materiais, a retomada de obras estruturais e o funcionamento da instituição.

O IFPA já tem feito muitos esforços no uso rigoroso dos recursos, dessa forma, a situação, que era preocupante, se tornou insustentável, pois serão afetados os serviços básicos de limpeza, luz, transporte e apoio a alunos e servidores para eventos e congressos, dentre outros. O quadro indica que o instituto só teria condições de se manter até setembro de 2019, caso opere dentro do novo orçamento. Os cortes ferem a essência do IFPA, que sempre trabalhou pela educação de qualidade e é responsável pela formação de milhares de profissionais cidadãos, atuantes no mundo do trabalho.

Membro do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), o IFPA vem se juntar aos demais Institutos que se posicionaram sobre a gravidade das medidas anunciadas pelo Ministério da Educação (MEC), reforçando o compromisso em ofertar educação profissional de qualidade à sociedade paraense.

Para isso, a Rede Federal, por meio do CONIF, vem se mobilizando no enfrentamento dessa situação. No dia 07 de maio, haverá reunião com a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC), o dia 08 de maio, será dedicado ao diálogo com parlamentares da Frente Parlamentar em defesa dos Institutos Federais e, no dia 10 de maio, haverá reunião com o Ministro da Educação. Essas reuniões buscam garantir redimensionamento dos cortes divulgados pelo governo, na certeza de que a Educação Profissional e Tecnológica foi e ainda será a melhor estratégia para o desenvolvimento nacional.

O IFPA é uma das instituições de ensino público mais importantes do Estado do Pará, voltada para formação de profissionais cidadãos, qualificados para o mundo do trabalho. Com 18 campi, atende cerca de 16 mil estudantes por ano, por meio da oferta de 40 cursos Técnicos, 29 Graduações, 22 Especializações, 4 Mestrados e 208 formações complementares.”