Fazer uma horta em casa ou no apartamento é fácil: veja como

0
3339

 

 

 

 

 

 

 

As hortas urbanas têm atraído a atenção de muitas pessoas que sonham em produzir seus alimentos in natura, em ambiente residencial e preservando, ao máximo, a natureza. São diversas as possibilidades de produção que, se considerarmos só as espécies nativas da Amazônia, passeiam do cariru ao maracujá amazônico, passando pela chicória, jambu e tantos outros. Há para todos os gostos, espaços e disponibilidade de tempo.

Uma das barreiras citadas por muitos interessados em iniciar o processo de uma horta urbana dentro de sua residência, seja uma casa ou apartamento, é a dificuldade de manutenção. Conversamos com dois especialistas que destacam o contrário: fazer e manter uma horta em um ambiente domiciliar é plenamente possível, flexível e ocupa pouquíssimo espaço de tempo.

Eles aproveitaram para ensinar como iniciar o processo, como driblar as pragas e doenças que possam vir a aparecer e como adaptar o ambiente para a melhor sobrevivência de um horta domiciliar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ADUBOS CASEIROS

A engenheira agrônoma Mazillene Borges, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), fez um passo a passo de como criar uma horta em casa. Sua primeira orientação foi sobre a produção de adubo orgânico, essencial e, segundo ela, passo inicial para a preparação de uma horta.

“Toda essa produção começa quando eu separo o resíduo orgânico gerado na minha casa, como cascas de alimentos, frutas, pó de café e casca de ovo e faço o meu processo de compostagem”, disse, ao pontuar que, a partir daí, para iniciar a compostagem, basta possuir três baldes.

“Eu coloco um balde em cima do outro, com furo nas tampas, e vou depositando camadas dos resíduos que são produzidos em casa. Coloco isso no primeiro balde e o liquido vai escorrendo para o outro. Assim, esse produto vai entrando em decomposição”, explica. A especialista também aponta que “se tiver alguma coisa seca, como serragem, pode colocar junto com o resíduo que ajuda no processo”.

Segundo Mazillene, em 90 dias o material depositado vai estar seco e decomposto, pronto para ser usado como substrato para a horta urbana, porque os microrganismos atuam. “Assim eu consigo utilizar como base da adubação orgânica”, ensina. “O chorume, que vai ser decomposto no último balde, eu uso como adubo orgânico liquido”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BOAS SEMENTES, SOL E IRRIGAÇÃO

Com o substrato em mãos, o próximo passo é o material vegetal, que pode ser comprado a partir de sementes ou produzido em casa. Sobre isso, Daniel Oliveira, engenheiro agrônomo e idealizador do projeto Verde Cidadão, que auxilia as pessoas na composição de hortas domiciliares e incentiva a reutilização de materiais, como latas com design repaginado para a substituição dos vasos tradicionais, relata que o fundamental para a criação de uma horta é um ambiente adequado para a mesma.

“O fundamental para se ter uma horta em casa, seja em um quintal de casa ou em apartamento, é um espaço onde bata sol entre quatro e seis horas por dia, principalmente nos horários mais amenos, como início do dia e fim da tarde, e água, que a gente supre com irrigação correta”, pontua. Ele ainda faz questão de despreocupar aqueles que têm medo do sol das 12h para esse tipo de cultivo: “é um pouco mais forte, mas nada que não tenha técnicas e caminhos para adequar”.

Além desses fatores, Daniel considera importante a estruturação do espaço, vaso ou canteiro onde será feita a plantação, trabalhando as questões de solo e cuidados com adubação, controle de pragas e doenças e renovação de plantas, que entram como a manutenção da horta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PRODUTOS FRESCOS EM CASA

Aos 40 anos, Luis Onishi é um dos clientes do Verde Cidadão. Morador de um apartamento no centro da cidade, o espaço não o impediu de montar uma horta em casa, vontade antiga do empresário que adora cozinhar. De acordo com ele, que conta com um sistema de irrigação automática para ajudá-lo a regar as plantas, já que não possui tempo, a experiência tem sido excelente.

“Dá vida ao ambiente, é funcional para cozinhar com produtos frescos e também é uma oportunidade de mostrar para os filhos de onde vem as plantas, como elas crescem, o cheiro e o sabor de cada uma” diz. Agora, o apartamento de Luis conta com um mobiliário de metal com 14 latas e diversas espécies de planta, como espécies de hortaliças convencionais, floreiras, espécies aromáticas e medicinais.

Para gerar ainda mais impactos positivos, como o impacto ambiental pela renovação das latas que iriam para aterros sanitários e utilização de espécies nativas da Amazônia, que acaba por trazer a biodiversidade local e nativa de volta para a cidade, o Verde Cidadão também procura comprar as mudas que serão plantadas de pequenos agricultores de comunidades de Belém e entorno, o que, sem dúvida, gera impacto social.

“Quando a gente compra as mudas e substratos dessas comunidades, geramos renda e valorizamos o trabalho dessas pessoas” diz. Além disso, ele também cita o aspecto do incremento e melhora da alimentação de pessoas por meio das hortas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PASSO A PASSO PARA MONTAR SUA HORTA

  • 1. O primeiro ponto é definir o local onde será montada. É preciso  incidência de luz, entre quatro e seis horas por dia, preferencialmente no início da manhã e fim da tarde;
  • 2. Importante: verifique tipo de solo e use substrato rico em matéria orgânica;
  • 3. Usar sementes e mudas de boa procedência, livres de pragas e doenças. Segundo a engenheira agrônoma da Embrapa, as sementes compradas em supermercado geralmente são de refugo, material difícil de germinação. Compre em locais com certificação de qualidade;
  • 4. A irrigação será essencial. Atenção: não se deve molhar a planta, mas sim irrigá-la. O recomendado é que se use, para isso, um regador ou um borrifador. Uma dica que pode ajudar a quem está começando é a seguinte: devemos parar de irrigar quanto a água começar a escorrer pelo vaso. Além disso, é preciso que o vaso, garrafa pet ou recipiente tenha furos em baixo, para que haja a drenagem. O excesso de água prejudica a produção de hortaliças e pode trazer alguns esporos de fungos e insetos;

 

 

 

 

 

 

 

 

 

COMO FAZER A MANUTENÇÃO DESSA HORTA?

Essa é uma das principais dúvidas e receios de quem pretende iniciar a montagem de uma horta. Serão necessários, realmente, alguns cuidados diários ou semanais, mas, de acordo com especialistas, nada que ocupe mais de 15 ou 20 minutos por dia. Entenda como e por que fazer essa manutenção pode ser mais fácil do que você pensa:

  • 1. É preciso regar a horta todos os dias, ou dia sim dia não. Tudo irá depender dos produtos que você cultiva;
  • 2. Eventualmente, será preciso tirar algum mato estiver crescendo;
  • 3. A colheita das plantas é preciso ser feita com frequências. Algumas plantas, caso não sejam colhidas a tempo, acabam morrendo;
  • 4. A cada mês ou de dois em dois meses é preciso fazer uma adubação, renovar os nutrientes que vão fazer as plantas ficarem vigorosas e bonitas;
  • 5. É essencial ficar sempre de olho em relação a pragas e doenças que podem ocorrer. Receitas caseiras ajudam a combater tais incidências

 

 

 

 

 

 

 

 

 

COMO EVITAR SURGIMENTO DE PRAGAS, FUNGOS, INSETOS?

O controle de pragas e doenças é sempre quando tais materiais já estiverem presentes na plantação. Em caso de prevenção, o mais indicado é manter a horta sempre bem cuidada, com adubação, retirada de matos e sem excesso ou falta de água. Para o controle, alguns produtos naturais e receitas caseiras são úteis e recomendáveis. Aprenda:

1. PRAGAS:

É fácil reconhecer que uma praga atacou a sua plantação, já que ela geralmente deixa alguns furos nas folhas ou começa a comer o caule. No caso da cochonilha, uma das mais comuns para a nossa região, ela deixa esporos esbranquiçados, como se fosse algodão doce. Já o pulgão deixa pontos pretos geralmente em baixo das folhas. Isso suga a ceiva da planta e ela começa a enfraquecer.

Para controlar: você pode fazer uma solução com detergente neutro e água para burrificar nesses locais. Monitoram sempre de perto e fazer podas e limpezas também é importante, como controle mecânico, para retirar as doenças logo no início. Outra dica é diversificar a horta, pois a resistência contra pragas e doenças se torna maior. Utilizar outros métodos, como os propostos pela Embrapa nesta cartilha, também são uma opção;

2. FUNGOS:

Manchas necrosas é o principal sintoma de que um fungo está se instalando na planta. O controle com receitas caseiras é mais difícil, mas produtos químicos podem ajudar. A Embrapa também tem orientações de como proceder nesses casos.